Presidente dos EUA, Donald Trump, e membros da delegação norte-americana durante almoço em Cingapura
11/06/2018 REUTERS/Jonathan Ernst
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira que a histórica reunião com o líder norte-coreano, Kim Jong Un, em Cingapura, pode “funcionar muito bem”, enquanto autoridades dos dois países se encontraram para reduzir diferenças sobre como finalizar o impasse nuclear na península coreana. 

Kim e Trump chegaram à cidade-Estado tropical no domingo para a primeira reunião presencial da história entre líderes de dois países que são inimigos desde a Guerra da Coreia entre 1950 e 1953. 

Com dúvidas restando sobre o que a desnuclearização implicaria, autoridades de ambos os lados conversaram por duas horas para avançar com a agenda do encontro antes da reunião de cúpula da terça-feira. 

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse em nota que a reunião foi “substancial e detalhada”, mas não houve comentários imediatos sobre o resultado do encontro prévio. 

Trump expressou otimismo em uma reunião com o primeiro-ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong, no almoço. 

“Temos um encontro muito interessante em particular amanhã, e eu só penso que irá funcionar muito bem”, disse Trump. 

Ele também disse a Lee: “Nós apreciamos sua hospitalidade e profissionalismo e amizade... Você é meu amigo”. 

Lagosta e sorvete estavam no menu do almoço, que também teve um bolo de aniversário antecipado para Trump, que faz 72 anos de idade na próxima quinta-feira. 

Kim continuou acomodado no hotel St. Regis, altamente protegido por seus guardas. Também não houve sinal de sua irmã, Kim Yo Jong, que o acompanhou até Cingapura. 

Algumas pessoas reclamavam na rica cidade-Estado por conta dos congestionamentos causados pela reunião, além do custo de receber dois líderes com gigantescas necessidades de segurança.

Lee já disse que a conferência custaria a Cingapura cerca de 20 milhões de dólares de Cingapura (15 milhões de dólares dos EUA), sendo mais da metade do valor em segurança. 

“Obrigado ao primeiro-ministro Lee por gastar 20 milhões de dólares em dinheiro dos contribuintes que poderia... ajudar várias famílias necessitadas em Cingapura a sobreviver”, publicou um usuário do Facebook. Outros reclamaram dos congestionamentos na região central de Cingapura. 

Lee afirmou que o custo valeria a pena. 

“É a nossa contribuição para um esforço internacional que está dentro de nossos interesses profundos”, disse a jornalistas no domingo.

Trump e Kim estão ficando em hotéis separados na famosa área de Orchard Road em Cingapura, repleta de arranha-céus de apartamentos de luxo, prédios corporativos, e shoppings iluminados. O trânsito foi bloqueado ao meio dia de um dia quente e úmido e dezenas de passantes foram multados pela polícia enquanto Trump se encontrava com Lee. 

Cenas semelhantes foram vista no domingo quando Kim e Trump chegaram à cidade e quando Kim foi se encontrar com Lee. As entradas para os seus hotéis é extremamente restrita.

Fonte: Reuters
Por Soyoung Kim e Steve Holland

Postar um comentário