Messi, apagado, não conseguiu evitar a derrota da Argentina para a Croácia
Foto: Reprodução/EFE
E o sonho de conquistar o tri ficou mais distante para a Argentina. Depois de um empate frustrante na estreia da Copa do Mundo, a seleção comandada por Jorge Sampaoli acabou sendo surpreendida pela Croácia nesta quinta-feira (21), em Nizhny Novgorod, e perdeu por 3 a 0.

Depois de um primeiro tempo movimentado, com chances claras desperdiçadas de ambos os lados, a Croácia conseguiu aproveitar o nervosismo argentino e construir a vitória, através de um erro bizarro de Caballero e dois gols de contra-ataque.

Com o resultado, os argentinos precisam agora de uma combinação de resultado para buscar a segunda posição do grupo D, além de ter que vencer o próximo compromisso na Rússia. Já a Croácia garantiu a classificação antecipada às oitavas de final, chegando aos seis pontos.

As seleções do grupo D voltam a jogar na próxima terça-feira (26). Em São Petersburgo, a Argentina enfrenta a Nigéria, enquanto a Croácia pega a Islândia, na Arena Rostov. As duas partidas serão disputadas às 15 horas.

O jogo

Após muitos testes, Jorge Sampaoli mandou a Argentina a campo com uma formação mais conservadora para encarar a Croácia. O treinador escalou três zagueiros e deixou Lionel Messi mais próximo do gol adversário.

Apesar das mudanças, quem começou assuntando na partida desta quinta foi a Croácia. Logo aos 4 minutos, Perisic invadiu a área pelo lado esquerdo e bateu cruzado. Caballero, com as pontas dos dedos, desviou a bola que saiu pela linha de fundo.

O lance assustou a Argentina, que conseguiu chegar ao ataque somente aos 12 minutos. Acuña foi a linha de fundo, cruzou para trás e enfiou para Meza. O atacante pegou de primeira e a bola acabou sendo cortada pela defesa croata.

A partir desse momento da partida, os argentinos passaram a ocupar mais o campo de ataque, com uma marcação mais alta. A Croácia por sua vez, se fechou e tentou ocupar os espaços vazios quando tinha o domínio da bola.
Enquanto Messi decepcionou, Módric foi fundamental no triunfo croata sobre a Argentina
Foto: Reprodução
Aos 29 minutos, a Argentina chegou novamente com perigo. Após boa jogada pela esquerda, Agüero bateu e Vida fez um corte parcial. Na sobra, Enzo Pérez pegou da entrada da área, mas colocou a bola para fora, perdendo uma grande chance para os sul-americanos.

A resposta dos croatas veio logo em seguida. Aos 31, Módric subiu pelo lado direito do ataque, limpou a marcação e levantou a bola na área. Mandzukic, livre de marcação, tentou de cabeça, mas mandou a bola para fora, mantendo o 0 a 0 no placar.

As seleções voltaram sem modificações para a etapa final. E o panorama do jogo mudou pouco também. A Argentina tinha maior posse de bola, mas não conseguia finalizar com precisão contra o gol de Subasic.

E a situação argentina já não era boa, piorou quando Caballero vacilou de forma bizarra. Aos nove minutos, Mercado recuou a bola para o camisa 23, que ao tentar voltar para o zagueiro, tocou para Rebic. O croata pegou de primeira e abriu o placar em Nizhny Novgorod.
Caballero lamenta falha crucial na derrota argentina para a Croácia
Foto: Reprodução
Após o gol, Sampaoli promoveu duas alterações em sua seleção: Higuaín entrou no lugar de Agüero e Pavón na vaga de Salvio. As substituições deixaram a Argentina ainda mais ofensiva, mas o time se perdeu no nervosismo de seus jogadores.

Os croatas, por sua vez, posicionaram duas linhas de quatro em seu campo de defesa, e de forma inteligente, ficaram aguardando o momento certo para armar o contra-ataque e sair em velocidade.

E aos 35, a chance apareceu. Módric recebeu na intermediária, limpou a marcação de Otamendi e arriscou de longe, mandando a bola no canto direito de Caballero, que chegou a tocar na bola antes de entrar. Golaço dos croatas.

Ainda deu tempo da Croácia ampliar, sem fazer esforço. Aos 46, em um novo contra-ataque puxado por Rakitic, o camisa 7 bateu para o gol. Caballero rebateu e a bola sobrou para Kovacic, que voltou para Rakitic empurrar para o fundo da rede: 3 a 0, para desespero dos argentinos.

Fonte: Jovem Pan

Postar um comentário