Belgas comemoram o gol marcado por Chadli no último minuto da partida entre Bélgica e Japão
Foto: Reprodução/EFE
Diferente do que muitos imaginavam, a Bélgica teve dificuldades para passar pelo Japão, nesta segunda-feira (2), em Rostov, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. A seleção europeia sofreu, especialmente na segunda etapa, para superar a boa marcação dos asiáticos e conquistar a vitória por 3 a 2.

Com a vitória e a classificação garantidas, os belgas vão encarar a Seleção Brasileira que mais cedo bateu o México por 2 a 0. O duelo das quartas de final será realizado na próxima sexta-feira (6), às 15 horas, em Kazan.

Na primeira etapa, a Bélgica pressionou, mas não chegou a ter situações claras de gols, mesmo com Lukaku de volta à seleção. No segundo tempo, o Japão chegou a abrir 2 a 0, mas os belgas conseguiram reagir. Empataram por cima e viraram com um contra-ataque mortal, já nos acréscimos do jogo.

Equilíbrio e poucas chances

O duelo entre belgas e japoneses começou bastante equilibrado. As seleções demoraram a chegar ao ataque. A Bélgica optou por trocar passes no meio nos minutos iniciais, enquanto o Japão tentava sair pelo lado de campo.

Após os 15 minutos, os laterais belgas adiantaram e encostaram nos jogadores do meio, permitindo que as primeiras triangulações no campo de ataque fossem feitas. Apesar da ideia parecer boa, a Bélgica demorou a ter sucesso.

A primeira boa oportunidade surgiu somente aos 24, com Mertens recebendo no lado direito da área e levantando para Lukaku. O camisa 9 da Bélgica tentou a finalização, mas o zagueiro Yoshida conseguiu atrapalhar o atacante na conclusão da jogada.
Lukaku desperdiça boa chance na primeira etapa do duelo contra o Japão
Foto: Reprodução
O lance animou os belgas, que deram início a uma pressão sobre o Japão. Kawashima teve que trabalhar e fez uma boa defesa aos 28, no chute de Hazard e na cabeçada de Kompany aos 30, após cobrança de escanteio.

No final da primeira etapa, mesmo com dificuldades para segurar a bola no ataque, os japoneses equilibraram o jogo. Até assustar Courtois, os asiáticos conseguiram, quando Osako desviou cruzamento de Inui. O goleiro quase deixou a bola passar entre as pernas.

Surpresa asiática

As seleções voltaram sem modificações para a etapa final. Mas, logo na primeira chance, o Japão conseguiu surpreender os belgas. Inui roubou a bola e deixou para Kagawa, que lançou Haraguchi. O camisa 8 aproveitou a falha de Vertonghen e bateu cruzado para abrir o placar.

O gol deixou a Bélgica assustada e a situação que era difícil ficou ainda pior aos seis minutos, quando Kagawa pegou a sobra na entrada da área e deixou para Inui. O meia japonês ajeitou e bateu forte no canto de Courtois, que pulou, mas não alcançou.
Inui comemora o gol marcado na partida contra a Bélgica
Foto: Reprodução
Em desvantagem no placar, a Bélgica não conseguia esboçar reação e passou a errar muitos passes no campo de ataque. A única maneira de chegar ao gol de Kawashima era por cima, com cruzamentos para Lukaku.

O Japão, por sua vez, recuou todo e ficou no aguardo dos contra-ataques. Com dificuldade de furar as linhas de marcação dos asiáticos, Roberto Martínez promoveu duas mudanças na seleção belga: Chadli e Fellaini entraram em campo.

Reação por cima

E antes das substituições surtirem efeito, a Bélgica conseguiu diminuir. Aos 23, após cobrança de escanteio, Kawashima afastou a bola e a defesa tentou completar. Vertonghen, que havia falhado no primeiro gol japonês, pegou a sobra e mandou para o gol de cabeça.

Os belgas seguiram no ataque e não demorou para o empate acontecer. E o gol veio novamente após uma bola levantada na área. Aos 28, Hazard pegou a sobra no lado esquerdo do ataque e cruzou na medida para Fellaini tocar para o fundo da rede.
Fellaini cabeceia e empata a partida para a Bélgica
Foto: Reprodução
Após o empate, o receio de sofrer com um contra-ataque, fez com que a Bélgica diminuísse o ritmo. Porém, os europeus seguiram no ataque. Kawashima teve que trabalhar nos minutos finais para evitar a virada e fez duas grandes defesas nas cabeçadas de Chadli e Lukaku.

Contra-ataque mortal

Aos 47 minutos, Honda teve a chance que parecia ser a última do tempo normal. O meia japonês bateu uma falta de longe para a defesa de Courtois, que mandou para escanteio. Na cobrança, o goleiro Courtois agarrou e iniciou o contra-ataque para os belgas.

O camisa 1 soltou para De Bruyne, que saiu em velocidade pelo meio de campo, abriu para Meunier. O lateral cruzou para dentro da área em busca de Lukaku, que deixou a bola para Chadli só empurrar para o fundo do gol. Virada da Bélgica e classificação garantida.

Fonte: Jovem Pan

Postar um comentário